top of page

Secretaria Municipal de Cultura, Esportes, Lazer e Turismo

press to zoom

press to zoom
1/1

Indicação da Semana: O Arroz de Palma

O arroz de Palma fala de família. Antônio, já com 88 anos, prepara um grande almoço para comemorar os cem anos do casamento de seus pais. Os irmãos, já octogenários como ele, e todos os seus descendentes comparecem à celebração. O enredo ocorre ao personagem em forma de lembranças de família.

Em clima de realismo fantástico, o fio condutor é o arroz jogado no casamento dos patriarcas, quando a trama tem início, no dia 11 de julho de 1908, em Viana do Castelo, Norte de Portugal, no casamento de José Custódio e Maria Romana. Terminada a cerimônia, o arroz que desaba sobre os noivos é torrencial, chuva branca que não para. O cortejo segue em festa pelo vilarejo, mas a romântica Palma permanece ali, feliz com todo aquele arroz espalhado pelo adro da igreja. Muito pobre, ela havia decidido, com entusiasmo, que aquele seria o seu presente de casamento para o irmão e a cunhada. Infelizmente, o arroz, dado com tanto amor, resulta na primeira briga do casal. A partir daí, por quatro gerações, todas as disputas, os conflitos, os dramas e as alegrias da família giram em torno do arroz.

O arroz de Palma fala das raízes do imigrante lusitano. Da gente simples, honesta e trabalhadora que veio em busca de uma vida melhor em terras brasileiras, cheia de sonhos e projetos e que, transplantada neste solo, com muita luta e espírito de superação, aprofundou raízes, cresceu e deu frutos.

O texto “Família é prato difícil de preparar”, extraído do primeiro capítulo do livro, começou a circular de forma espontânea pelas redes sociais e transformou o livro em um fenômeno do boca a boca – prova, talvez, de que família é mesmo prato de complicadíssima elaboração e que, como diz o velho cozinheiro Antônio, por mais sem graça, por pior que seja o paladar, temos de experimentar e comer."

press to zoom

press to zoom
1/1

Indicação da Semana: Cadernos Negros Volume 20

Na semana do dia da Consciência Negra, indicamos o livro Cadernos Negros, que relata fatos sobre muito antes do conjunto social reconhecer a legitimidade e a contemporaneidade dos movimentos sociais negros, ofereceu-se como um útero generoso para gestar e dar a luz, formas variadas da expressão literária afro-brasileira urbana. Aí eu te pergunto, você sabia que quase todos os principais escritores brasileiros, como Machado de Assis, Cruz e Souza, Lima Barreto, Luiz Gama, Carolina de Jesus, são negros? Foram gigantes, longamente negados ou negligenciados como referência. Esse livro, é uma oferta de uma referência, para a nação brasileira e nação mundial, do recriar a negra vida neste tempo e espaço do planeta.

press to zoom

press to zoom
1/1

O Segundo Suspiro

Biografia, você vai compreender a vida de Phillipe antes e depois de Abdel, que o fez entender a vida de outra maneira.

Ficou curioso? Então já sabe, nos faça uma visita e se delicie com essa indicação de leitura da semana.

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/3

O Dia do Poeta foi celebrado no dia 20 de outubro

Esta data celebra o profissional, que pode (e deve) ser reconhecido como um artista escritor, que usa de sua criatividade, imaginação e sensibilidade para escrever, em versos, as poesias que faz.

O principal propósito desta data é incentivar a leitura, escrita e publicação de obras poéticas nacionais.

Há séculos as pessoas se emocionam, riem e choram com essas belas produção artísticas, consideradas como uma das Sete Artes Tradicionais.

Por isso, a tia Jú escolheu para hoje, essas três obras:

Infantil: Pitangas & Vagalumes - Maria Dinorah
Infanto Juvenil: A arca de Noé - Vinicius de Moraes
Professores: A poesia vai à escola - Neusa Sorrenti

bottom of page